Escoliose no bebé, é possível?

A resposta é sim, é possível identificar uma escoliose no Bebé, no entanto, nem sempre é fácil de o fazer. Várias são as origens de uma escoliose, algumas delas devido a malformações e outras idiopáticas (sem causa que se consiga identificar com exatidão como estando na origem do problema). Nos primeiros 6 meses de vida do Bebé, o Bebé pode apresentar alguns sinais que nos podem alertar para a presença de uma escoliose:

  • Alterações da forma de cabeça (a cabeça não é redonda)
  • Alterações da forma da face (um olho maior que o outro, uma bochecha maior que a outra…)
  • O Bebé inclina a cabeça ou o tronco sempre para o mesmo lado
  • Na posição de tummy time (posição de brincar de barriga para baixo), estando o Bebé sem roupa e a brincar olhando para a frente, é possível reconhecer que as costas do Bebé apresentam uma zona mais saliente de um dos lados da coluna vertebral.
  • Quando juntamos as pernas do Bebé é possível verificar uma “aparente” diferença de tamanho nas pernas do Bebé (essa diferença de tamanho na grande maioria dos casos não é real, tem origem numa inclinação pélvica)

Todos esses sinais podem estar mais ou menos presentes sendo que nos primeiros 6 meses de vida do bebé, dependendo da origem do problema, é possível identificar apenas uma ou outra dessas alterações.

 

A partir dos 6 meses, o Bebé inicia o sentar. Assim que o Bebé se senta sozinho, para os pais é mais fácil reconhecer uma possível escoliose. Quando o Bebé está sentado, sem camisola, a olhar para a frente, sem objetos nas mãos, vai ser possível identificar que um ombro está mais alto do que o outro e que o Bebé apresenta uma zona mais saliente de um dos lados da coluna vertebral.

 

Se identificou alguns dos sinais de uma possível escoliose no seu Bebé, procure ajuda de um osteopata com experiência em pediatria e fale com o pediatra do seu Bebé. Uma intervenção precoce é a chave para o sucesso do tratamento.

 

Autora: Dra. Patrícia Rocha, Fisioterapeuta e Osteopata

EnglishPortugueseSpanish