Grávida em movimento

Qual a importância da prática de exercício físico durante a gravidez?

A prática de exercício físico na gravidez constitui uma das partes dos cuidados pré-natais (CPN) segundo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Os CPN constituem uma plataforma para importantes funções dos cuidados de saúde, incluindo a promoção da saúde, o rastreio, o diagnóstico e a prevenção das doenças. Está comprovado que, com a implementação oportuna e adequada de práticas baseadas em evidências, os CPN podem salvar vidas e que as experiências positivas das mulheres durante os CPN e o parto podem constituir a base de uma maternidade saudável”. Conclui-se desta forma que os benefícios dos CPN se estendem para além do período pré-natal, com benefícios a longo prazo. Segundo a OMS o exercício físico regular é fortemente recomendado para evitar as dores lombares e pélvicas, evitar o ganho de peso excessivo, em conjunto com uma alimentação saudável e a manutenção de um estilo de vida saudável.

Todas as grávidas podem realizar exercício físico?

Hoje sabe-se que todas as mulheres grávidas, sem contra-indicações médicas, devem ser encorajadas e incentivadas a realizar ou manter o exercício físico moderado e que este deverá ser acompanhado por profissionais com formação especifica na área e adaptado pelo profissional de saúde a cada trimestre da gravidez.

Quais os seus benefícios?

Sabe-se, atualmente, que os seus benefícios, vão ainda mais além dos que os anteriormente descritos, com mais benefícios a nível físico e emocional. De acordo com a atividade praticada, alguns dos seus benefícios são: a prevenção da incontinência urinária, o facilitar o trabalho de parto, o impacto na recuperação da diástase abdominal, uma recuperação pós parto mais rápida, a manutenção da força muscular e flexibilidade, o aumento da consciência corporal, a diminuição da insónia, ansiedade e stress, a diminuição da incidência de diabetes gestacional, o aumento da resistência cardiovascular, a redução do risco de parto pré-termo e o aumento da sensação do bem estar geral.

Que tipo de atividade física é recomendada?

O importante mesmo é encontrar uma atividade que a grávida goste para que consiga retirar o máximo de benefício da mesma em termos físicos e emocionais e tentar praticar essa atividade inserida num grupo de grávidas ou individualmente acompanhada sempre por um profissional de saúde especialista e com formação nesta área. É também muito importante que a atividade escolhida não só trabalhe o corpo de forma global mas também se foque nos músculos do pavimento pélvico e períneo. Alguns exemplos de atividades que podem ser realizados na gravidez são: o pilates clínico para grávidas, fisioterapia aquática para grávidas, ginástica para grávidas, musculação e natação. O ideal é mesmo evitar desportos de alto impacto, pois estes promovem um aumento de carga ao nível do pavimento pélvico, podendo levar a disfunção do mesmo.

Com que frequência pode a grávida realizar exercício físico?

A frequência da prática de exercício vai depender da frequência e da regularidade com que a grávida realizava atividade física, ou ausência da mesma, antes da gravidez.

Existem contra-indicações?

Sim, existem algumas contra-indicações, umas são absolutas e outras relativas. Por isso é também tão importante que a grávida seja avaliada e orientada por profissionais de saúde especializados nesta área e tenha a validação do médico que a acompanha para a prática de exercício.

 

Autora:

Dra. Raquel Jacinto, Fisioterapeuta especialista em saúde materno infantil e pelviperineologia

EnglishPortugueseSpanish